Super temporada do FIA WEC termina com título mundial brasileiro

André Negrão é campeão mundial na categoria LMP2 e brasileiros se destacam nas 24 Horas de Le Mans

Chegamos ao fim da temporada 2018-2019 do Campeonato Mundial de Endurance (FIA WEC). Foram 86 horas de pilotagem, 35 nacionalidades na competição, seis países visitados e 262 pilotos. Dez brasileiros participaram de pelo menos uma etapa da competição. Além de Bruno Senna e André Negrão, que correram em todas, Augusto Farfus andou em cinco provas, Daniel Serra em três, Pipo Derani e Tony Kanaan em duas e Felipe Nasr, Rodrigo Baptista, Pietro Fittipaldi e Felipe Fraga estiveram presentes em uma cada. 

Senna e Negrão durante todo o ano

Bruno Senna, então campeão na LMP2, foi com seu carro #1 para a LMP1 enfrentar os poderosos Toyotas. Foi difícil para a Rebellion Racing e o melhor resultado de Bruno na temporada foi um terceiro lugar nas 6 Horas de Fuji. 

Já André Negrão, a bordo do carro #36 da Signatech Alpine Matmut na categoria LMP2, esteve presente no pódio em todas as provas, conquistando duas vitórias – as duas em Le Mans – e garantindo o título mundial. 

Le Mans verde e amarela

A super temporada 2018-2019 do FIA WEC teve duas etapas da lendária 24 Horas de Le Mans. Na primeira, em junho de 2018, tivemos a participação de sete brasileiros: Felipe Nasr, Daniel Serra, André Negrão, Bruno Senna, Pipo Derani, Tony Kanaan e Augusto Farfus. André Negrão conquistou sua primeira vitória nas 24 Horas de Le Mans na classe LMP2. 

Na segunda edição de Le Mans da temporada, que aconteceu há poucos dias, tivemos sete brasileiros na disputa: Bruno Senna, André Negrão, Augusto Farfus, Daniel Serra, Felipe Fraga, Rodrigo Baptista e Pipo Derani. Na LMP2, André Negrão conquistou sua segunda vitória em Le Mans, confirmando o mundial na categoria e renovando o título para o Brasil, já que na temporada anterior Bruno Senna conquistou o título com o carro da Rebellion Racing. 

Daniel Serra também conquistou sua segunda vitória em Le Mans na categoria LMGTE Pro, dessa vez a bordo de um Ferrari 488 GTE EVO, da equipe AF Corse. O brasileiro havia vencido em Le Mans em 2017, pilotando um Aston Martin Vantage. 

Na categoria Am, o estreante Rodrigo Baptista chegou em terceiro, mas ficou com a segunda posição após a desclassificação do Ford GT vitorioso da corrida, pilotado pelo brasileiro Felipe Fraga, devido a uma irregularidade técnica.

O campeonato acabou sendo de bastante sucesso para os brasileiros e, agora, estamos todos na expectativa para a próxima temporada onde teremos, em fevereiro, as 6 Horas de São Paulo.